Páginas

Sustentabilidade

Querido(a) leitor(a), quando você ouvir falar em "sustentabilidade", saiba que não é apenas um novo modismo: é necessidade, é sobrevivência! O planeta é finito e assim suas reservas naturais. Se você quiser jogar algo fora, pense duas vezes antes de decidir: muito do que é lixo pode ser transformado ou ainda pode ser reaproveitado. Reflita, imagine possibilidades, crie! Tentaremos publicar ideias legais garimpadas na web, em passeios pelas cidades do mundo e projetos nossos, inspirados na sustentabilidade e na economia. Tudo para evitar o descarte de itens que ainda podem ser úteis e, de quebra, o consumo desnecessário. Se você tiver alguma ideia interessante, envie que publico e lhe dou os créditos!!

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Banqueta/otomano reeditado

Oi pessoas!

Ainda segue o blog, meio vivo, por aqui... hahaha! Às vezes dá vontade de parar, falta o tempo, mudança de rumos na vida! Mas como a gente continua dando vida nova pra móveis, catando "lixo" por aí pra transformar em nossos luxos, preferimos deixar esta porta aberta. Segue uma das últimas artes...

A enteada estava com uma banqueta (dessas que se usa em frente à penteadeira) que foi da sogra e precisando de um trato. Então buscamos na casa dela e demos nosso toque. Só pra lembrar que não somos restauradores nem temos essa pretensão. Apenas gostamos de dar uma nova chance aos móveis que temos - ou algum que compramos usado e judiado.

Primeiro, o tratamento contra os cupins. Depois, a remoção total da tinta. Então marido fixou um pouco as perninhas, que estavam meio bambas, fechou uns pontos onde os cupins fizeram buracões com massa pra madeira, lixou e eu fiz uma graça com uma cera dourada (na última foto vai dar pra perceber o dourado). Envernizamos e levamos pra estofaria onde usaram um retalho de suede que tínhamos providenciado faz um tempão. Até tínhamos pensado em pintar a madeira, mas gostamos do tom natural à mostra. E a banquetinha foi ser feliz na casa da enteada outra vez. 

Vejam as fotos do antes...





Abaixo, no detalhe, etiquetas da loja que vendia - provavelmente - os móveis (Móveis Farroupilha). Aprendi a valorizar e buscar por estas etiquetas em móveis antigos. São provas da idade do móvel, embora eu não tenha muita certeza das datas exatas da época em que foi fabricada esta peça e, depois, vendida. Veja no detalhe...



E nesta foto abaixo, etiqueta do fabricante (Fábrica de Móveis Progresso). 


Nas fotos que seguem, o resultado da nossa pequena intervenção.









Esperamos ter lhe inspirado e estimulado no reuso, em dar uma nova chance aos móveis surradinhos!

Um beijo e até o proximo...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Balanços feitos com pneus usados

Olá pessoal! O blog está parado mas não morreu - ainda. Até pensei em desativar uma vez que não conseguia mais manter atualizações, mas sei que em alguns momentos vou ter algo para compartilhar e quero deixar o canal aberto. Ok, vamos ao reaproveitamento da vez?

Umas semanas atrás encontrei uma mulherada engajada e que precisava de ajuda para montar um playground numa creche. Me propuseram o balanço de pneu. Então, saí atrás de tutoriais e encontrei este aqui no Youtube, que achei mais seguro para os pequenos e que leva três cordas de apoio.



Segui as orientações direitinho e registrei com imagens pelo celular (bem ruizinhas) mas é possível saber que eu consegui. Basta ter as ferramentas e o material! Vamos à lista?

  • pneu usado - tente observar bem se tem aqueles aramezinhos aparecendo e se tiver, descarte;
  • furadeira;
  • brocas no tamanho do parafuso;
  • parafuso em "U" com arruelas e porcas;
  • corda - contei 3 metros para cada pedaço - cada pneu leva 3 cordas de 3 metros;
  • tinta esmalte (spray), tinta acrílica pra artesanato, verniz incolor e pincéis para pintar e decorar (se quiser);


Comecei lavando bem os pneus com uma escova, detergente neutro e água. Deixei secar e fiz vários furos na parte inferior do pneu (a que ficará para baixo) de forma que nunca acumule água dentro deles.


Depois, marquei a posição dos parafusos em "U" onde a corda foi amarrada.



Um dos meus pneus estava com os arames visíveis mas não "espetando". Na hora de selecioná-lo não percebi. Passei uma camada generosa de silicone sobre os arames e as partes mais desgastadas do pneu, como mostro na imagem abaixo e deixei secar por 24 horas antes de pintar. Assim garanti que a criançada não se machuque. Tá vendo o dedinho apontando para aquela massa branca?



No dia seguinte, forrei o chão e usei o que tinha de tinta spray para cobrir os pneus. 





Ficou um degradê de verde e azul em dois e no terceiro veio o prata porque faltou tinta verde.


Depois fiz uns desenhos à mão livre para alegrar um pouquinho os balanços.



Envernizei com verniz incolor alto brilho. E, por fim, amarrei a corda. O vídeo ensina direitinho e é muito fácil de fazer, sério. Para corda não desfiar, dei uma chamuscada nas pontas.


E ficaram assim...




As tias da creche curtiram. Vai ser presente de Natal para os pequenos entre outros tantos brinquedos angariados pela turma. E assim, entre reusar e se ajudar, podemos melhorar o mundo, um pouquinho que seja, né?

Abraços e até o próximo!


P.s.: este post não é publicitário.




segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Aparador e uma banquetinha!


Olá pessoas! Ano passado, em meados de junho, estivemos em Curitiba e aproveitamos para visitar a loja dos "Caçadores de Relíquias e Antiguidades Curityba". Encontramos um bocado de coisas, como podem ver nesta imagem abaixo. 



Sim, trouxemos o móvel (e os objetos em cima dele e abaixo) no carro de Curitiba até Porto Alegre. Algumas coisas já usei - como os panelões de ferro do chão, os cachepôs rosa (que na verdade são potes cerâmicos que podem ir ao forno, hehe), os botões, um dos globos. De uns meses pra cá nos dedicamos a este móvel maior de madeira. Acredito que ele era um toucador/penteadeira. Mas não tinha o espelho ou outras partes exceto o que está na foto. Cheio, cheio, cheio de cupins, precisou ficar de molho no veneno por bastante tempo. Quando finalmente começamos a trabalhar nele, a primeira coisa a ser feita foi remover o verniz.


Usamos o removedor ecológico em gel, que tem um cheiro mais suave e não agride o ambiente. A Sandra, do Madeira em Forma, foi me dando assessoria e sugestões. Apliquei com pincel e...



... removi com espátula.


Esta parte mais clara que se pode ver no tampo do móvel é onde suspeito tinha um espelho. Note a diferença de cor nas gavetas da imagem abaixo: mais clara com verniz removido.



Aqui, móvel com verniz totalmente removido.


Esta gaveta mostra as "estradinhas" que os cupins fizeram dentro da madeira. Depois de remover o verniz, testei com uma chave de fenda a profundidade dos danos. E nesta, era grande. A primeira ideia era deixar as três gavetas sem pintura. Mas aqui os planos tiveram de ser revistos, porque precisou de tanta massa de madeira que descaracterizou o material original. Então, foi a única das gavetas que também recebeu tinta. Removi o que me pareciam restos de puxadores e marido aplicou a massa de madeira e lixou.





Quando fui pintar, queria que os pés palito ficassem na cor de madeira natural, como duas das gavetas. Então coloquei fita crepe na beirinha pra não sujar os pés com tinta. Eles foram lixados e só receberam verniz sem brilho.



Rolinho, pincel e tinta. Escolhi tinta esmalte base água neste tom de verde acinzentado.




Depois de pintar e aguardar secar, passei verniz em todo móvel. Aguardei secar outra vez e passei cera incolor. 


A banquetinha abaixo fiz uma graça e pintei só o tampo e a ponta dos pés! :D









Detalhe da madeira, judiada e do puxador de ferro que comprei numa ferragem aqui perto de casa. Achei que ficou charmoso este móvel e ganhou uma nova chance aqui e em casa! E vocês?


Inspirem-se. Lojas de usados, casa de parentes, doações... sempre tem algum lugar se desfazendo de um móvel ou objeto que ainda pode ser usado, bastando apenas um pouco de carinho e cuidado! Abraços e até o próximo post.