Páginas

Sustentabilidade

Querido(a) leitor(a), quando você ouvir falar em "sustentabilidade", saiba que não é apenas um novo modismo: é necessidade, é sobrevivência! O planeta é finito e assim suas reservas naturais. Se você quiser jogar algo fora, pense duas vezes antes de decidir: muito do que é lixo pode ser transformado ou ainda pode ser reaproveitado. Reflita, imagine possibilidades, crie! Tentaremos publicar ideias legais garimpadas na web, em passeios pelas cidades do mundo e projetos nossos, inspirados na sustentabilidade e na economia. Tudo para evitar o descarte de itens que ainda podem ser úteis e, de quebra, o consumo desnecessário. Se você tiver alguma ideia interessante, envie que publico e lhe dou os créditos!!

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Reforma da cozinha - reeditado...


Antes de mais nada, um aviso - este post é uma reedição de outro, de 2012 (Após a mudança). Olá pessoas!  Quando marido e eu resolvemos fazer a reforma da casinha (em 2012) não sabíamos o tamanho da "encrenca". A intenção era fazer apenas algumas pequenas modificações, mas conforme o trabalho avançava, descobríamos que novas intervenções eram necessárias e, a parte importante nessas horas (a grana), era curta. O negócio foi fazer uma grande pesquisa atrás de preços e produtos bons e também uma busca atrás de achados. Além disso, dedicamos nosso tempo, músculos e cérebros fazendo boa parte nós mesmos. O resultado - que vocês verão abaixo - ficou como desejávamos: simples, bonito, claro, arejado e repleto de significados.

Era assim...






A mobília era dos meus sogros. Os armários (uma pena grande, porque a fórmica era boa) tiveram toda parte de aglomerado corroída por cupins e estufada pela umidade que vinha das goteiras. A geladeira, não funciona mais, contudo resolvemos trabalhar nela. Daqui uns dias mostro a ideia do marido.

A minha primeira vontade era remover os azulejos antigos e descascar as paredes mantendo os tijolinhos aparentes. No decorrer do processo, vimos que a parede era bastante irregular (bem torta, pra ser exata) e seria difícil fixar os armários. Também tinha o fato de que a cozinha era bastante escura, e os tijolos aparentes teriam de ser pintados, pelo menos, com uma tinta clara pra ajudar a iluminar. Veio a mudança de planos: azulejos brancos e um outro sonho muito acalentado, o painel de azulejos antigos.

Abaixo, o durante... destes azulejos, parte era da casa e parte garimpamos num museu (ou cemitério, como quiserem chamar) de azulejos. A primeira coisa foi limpá-los, removendo rejunte e cimento antigos. Daí organizamos - antes no computador - a sequência de colocação deles na parede e, em seguida montamos no chão, enumerando a ordem de colocação no verso de cada um. Por último, assentar na parede, rejuntar e limpar.







Depois, desta parte, veio a pintura das paredes e a colocação do forro de PVC. Sobre o forro, placas de isopor pra ajudar a manter a temperatura mais agradável no verão e no inverno. E ficou assim...










Aqui, a janela recebeu cortina e a parede as casinhas com corujinhas...


... e na outra parede, o porta-retrato com espelho!


A luminária, a casinha de corujinha pequena e a cortininha vieram da Leroy. A palavra "HOME" são letrinhas revestidas por chita. 

Nossa casa vive em constante evolução, transformando-se, adaptando-se aos nossos desejos e necessidades - uma metamorfose constante! E pra gente, é assim mesmo que deve ser. E melhor: nós mesmos nos revezamos nas tarefas dando a cada novidade um sabor único.

Gostou? Inspire-se também e faça as suas artes, reformas. Encare sem receio... beijos!

domingo, 31 de agosto de 2014

Janela com espelho e retratos...

Olá pessoas! Lembram que falei que tinha mais janelas (além da janela azul) pra gente fazer arte aqui, né? Pois, agora usamos uma das janelas restantes para fazer um porta-retratos com espelho. Os espelhos são apenas decorativos, contudo dão a impressão de amplitude, de um rasgo na parede. Vamos aos passos? Sigam-me...

Primeiro, marido lixou a janela, removendo uma primeira camada de tinta esmalte antiga. Passou uma estopa com removedor de tintas pra limpar o pó e aguardamos o cheirinho desaparecer. Pra começar a pintar, colei jornal na parede onde apoiei a janela - já chega o chão todo lambuzado, né?


Foram duas demãos de tinta esmalte base d'água - não uso mais outra, porque ela não precisa de solvente, é fácil de limpar os pincéis/rolos e não tem cheiro.


Depois de pronta, aguardei secar e dei mais uma lixada para que ficasse com um jeito envelhecido e perdesse o brilho. Espia aqui, no detalhe...


Escolhi fotografias em preto & branco (editadas digitalmente) e imprimi em papel fotográfico fosco. Depois colei sobre um paspatur (passe-partout) de cartolina branca. Pedi ao vidraceiro que cortasse vidros antirreflexo para proteger as fotografias e recortes de chapas de aglomerado (dos mesmos usados em porta-retratos). A ordem de colocação é: vidro, fotografia, paspatur e chapa de aglomerado. E nos cantos superiores e inferiores, fixamos espelhos. 

Na imagem abaixo, firmando as fotos e os espelhos na parte traseira da janela. Usamos um grampeador (destes de estofaria), mas podem ser preguinhos.


Na parede, marido fixou dois parafusos com buchas. Na janela, na parte traseira, fixamos lacres de latinhas de suco/refrigerante/cerveja. E ficou assim...





Material utilizado:
  • removedor de tinta (para tinta esmalte);
  • lixadeira;
  • lixa para madeira;
  • rolo de espuma;
  • pincel;
  • jornal velho;
  • tinta esmalte base d'água;
  • retalhos de chapas de aglomerado;
  • espelhos;
  • vidros antirreflexo;
  • prego/grampos;
  • lacres de latinhas de suco/refrigerante/cerveja;
  • 02 parafusos e 02 buchas;
  • furadeira.

Inspirei você? Espero que sim...
Até a próxima!


sábado, 30 de agosto de 2014

Taça trincada? Transforme em vaso, candelabro...

Oi pessoas! Já tem uns dias, num momento de bobeira (o que costuma ser frequente quando se trata de louça e copos), trinquei uma taça de cristal. Na hora, pensei: "que dó esta taça indo pro lixo", :'(... Entretanto, guardei. Depois, olhando-a de novo, vi que o estrago era pequeno e que dava para reaproveitá-la de alguma forma. 


A solução que achei foi colando uma renda de algodão na borda superior. Assim, a parte trincada ganha um reforço e firma o cristal. Usei cola branca, um pincel para aplicá-la sobre a renda e um pedaço de renda de algodão.


Secou por algumas horas...



... e fiz um charminho com uma vela de rechaud.


Ela não foi pro lixo e continua decorando nossa casinha. Até porque ela tem uma história! ;)

Espero ter-lhe inspirado! Beijos e até a próxima...

Este post não é patrocinado.


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Veneziana ou floreira? (editado)

Oi pessoas! A imensa quantidade de material que sobrou da reforma da casinha, aos poucos, está acabando. Dias atrás, pintei uma veneziana que marido prendeu no muro de um jardim reservado que temos. Só existe acesso pra este espaço pela área de serviço, ou pulando as janelas dos quartos, hehehe... É quase um jardim de inverno. Neste espaço plantei hera, que está crescendo. E, de uma janela que removemos da casa (com cupins em algumas partes e apodrecimento noutras), sobrou uma veneziana. Esta, marido fixou na parede, de frente à janela do quarto da caçula. E a vista dela ficou assim...






É uma janela e não é uma janela! Segue sendo útil, sendo apoio para os vasinhos de flor e enfeitando o pequeno espaço. Melhor do que abrir a minha janela e ver um muro de tijolos e cimento, muito melhor! 

Inspirei você? Tomara que sim... beijos e até a próxima!

Este post não é patrocinado.


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Rolinhos de papel higiênico...

Oi pessoas! Como todos os meus projetinhos, este também estava cozinhando em banho-maria. E o dia dele chegou. Tentei fazer uma pequena arte com rolinhos de papel higiênico...

Primeiro, dividi cada rolinho em quatro anéis de 2cm. Montei a maioria na forma de florzinhas e fixei juntos usando cola branca sem diluição. 



Depois de coladas as partes, coloquei na parede, próximo da mesinha de jantar. Mas a "arte" ficou pequena demais para a parede.


Procurei por outro espaço e encontrei este, uma parede entre a porta do banheiro e nosso quarto. Até que tem tudo a ver, né? Rolinho de papel higiênico com banheiro... :D



Dá pra aumentar a "arte" colando mais peças. Desta forma, a obra se torna dinâmica, podendo mudar de forma e de tamanho! E aí? Mandem as críticas.. rs!

Abraços e muita inspiração pra você!


Este post não é patrocinado.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Mesa de plástico (polipropileno) renovada.

Oi pessoas! Aqui está um lindo e ensolarado dia de inverno! Na verdade, um inverno com frio irregular, tendo dias gelados entremeados por outros ensolarados e quentes. Assim, a estação mais fria do ano não se foi ainda, mas a primavera já está na porta, irrompendo em flores e cores exuberantes. E cor (tinta) é comigo mesmo... hehehe. 

Voltando ao tema do post: tínhamos o problema, que era a falta de uma mesa no apartamento do interior. Conforme minhas idas ao interior foram ficando mais intensas, fomos sentindo falta desse conforto pras refeições, para receber amigos com um jantarzinho simples e uma rodada de risadas à mesa. Essa mesa de plástico (polipropileno) estava quase sem uso na casinha. Entretanto estava com o tampo um tantinho judiado, vejam aqui...

Nestas ranhuras a sujeira entranha e não existe água sanitária, escovinha, sabão que consiga limpar perfeitamente.


Resolvi, então, pintar apenas o tampo, uma vez que as pernas dela só precisam de uma boa limpeza. A tinta utilizada foi o esmalte à base d'água da coral, sobras (essa tinta não acaba, felizmente) de outras artes. Antes, preparei a base lixando bem o tampo com uma lixa fina, o que também removeu as ranhuras superficiais. Uma vez que o plástico fornece pouca aderência aos materiais, é necessário torná-lo áspero, removendo o brilho, para que a tinta adira melhor. A tinta usada não é recomendada para plástico. No mercado já existe uma (vi em spray na Leroy) que é específica para materiais plásticos, caso você queria uma pintura mais resistente (a resistência desta ainda vou testar).


Cobri as pernas com jornal porque não queria pintá-las.


Usei rolinho, que dá uma cobertura uniforme de tinta sobre os objetos.

Uma demão. Aguardei secar e continuei só no dia seguinte. Se for em dia úmido, demora um bocadinho pra secar. E o inverno aqui no sul está especialmente úmido.



Aqui, dois dias depois, finalizada com a segunda demão. E a banquetinha que estava encardida também levou tinta.


E olha a mesa, que gracinha ela ficou... veio pra sala de jantar! ;)




Fiz uma graça com garrafinha de cerveja: transformei ela em vasinho. Minha "comadre" Karine Izaton (linda "gringa", como são chamados os italianos aqui no sul) veio nos visitar e trouxe uma florzinha, que coloquei na garrafinha e enfeitou nossa mesa!



Pronto! Agora já posso te convidar pra um chá, um almocinho, uma jantinha na nossa mais recente "aquisição". A toalha de mesa é interessante: contém um produto anti-formiga, de forma que ela pode ser usada em áreas externas sem risco das formiguinhas transformarem a sua refeição na refeição delas. :D

Gostou? Inspire-se, crie, reaproveite! Beijos...

ps.: esqueci de passar lista de material usado! Aqui vai:

  • tinta esmalte base d'água;
  • rolo de espuma;
  • bandeja de pintura;
  • lixa fina;
  • jornal para isolar áreas que não devem ser pintadas;
  • fita crepe pra prender o jornal.